Buscar
  • João Paulo Pestana

As Emoções do Coronavírus

Viva,


Tenho um pedido a fazer-vos, para nos reunirmos todos online no próximo sábado dia 28 às 11h para uma sessão terapêutica coletiva.


Antes disso, dizer-vos que, passados 15 dias de autoisolamento, já consigo ter uma perspetiva mais realista sobre os impactos do coronavírus. Parece-me que:


  • A gravidade da situação confirma-se, tal como tive oportunidade de referir inicialmente.

  • O impacto e as consequências sociais, económicas e na saúde são significativas e continuam imprevisíveis.

  • O futuro é incerto e, por isso mesmo, gerador de sofrimento psicológico.


Pegando nesta última questão do sofrimento, da dor emocional, talvez seja esta, de todas as questões que se nos colocam, aquela que pode ter mais impacto nas nossas vidas e, ao mesmo tempo, também aquela para a qual, enquanto sociedade, estamos menos preparados para enfrentar. É fácil de perceber como a ansiedade, o medo, a insegurança, a raiva, a tristeza… apesar de normais perante uma situação como esta, se forem muito intensos, podem ter impacto negativo nos nossos pensamentos, comportamentos e, inclusive, na nossa saúde física, enfraquecendo a resposta imunitária.


Por tudo isto, é FUNDAMENTAL aprender a gerir estados emocionais intensos que, quer queiramos, quer não queiramos, iremos continuar a sentir durante os tempos mais próximos. Como os meus pacientes e alunos estão cansados de saber, porque eu não me canso de repetir, o pensamento positivo é algo, em si mesmo, benéfico, claro que sim, a questão é: como manter esse pensamento positivo no meio desta situação? Essa sim, é a verdadeira questão.


Não me quero alongar muito nestas questões teóricas, até porque o que tenho para sugerir é algo muito prático, para nos juntarmos enquanto comunidade, mas só dizer o seguinte.


Quando, qualquer um de nós, mesma que seja muito inteligente e contido emocionalmente, está perante uma situação potencialmente perigosa para a nossa integridade física e psicológica, ou para a integridade dos que amamos, involuntariamente, fora da nossa consciência, o nosso sistema nervoso (corpo-mente) prepara-se para a ação, mobilizando-nos para fazer frente à ameaça. Este mecanismo é conhecido, tradicionalmente, como Resposta de Luta ou Fuga, que pode durar várias horas e, inclusive, levar à Perturbação Aguda de Stress. Durante este período, esqueçam o pensamento positivo, o cérebro, pedindo emprestadas as palavras do António Damásio, está em “curto circuito neuronal”, ou seja, preparado para agir e não para pensar. Todos nós já passámos por isto, e nestes momentos que vivemos, iremos continuar a passar. Só que esta resposta, para se manter, necessita de uma quantidade fenomenal de energia e de recursos. O corpo, se está a preparar-se para a guerra, para combater algo, mesmo que ainda não tenha acontecido, mas que estamos vivamente a imaginar, irá desviar recursos importantes dos sistemas cardiovascular, imunitário e outros, para manter este estado de alerta geral. Resultado a médio e longo prazo: fadiga física e psicológica, tensão muscular crónica, pensamentos negativos recorrentes, insónia, distúrbios alimentares, conflitos relacionais, violência física e psicológica… acho que já deu par perceber.


Resumindo, todos estes sentimos e emoções negativas que temos sentido, e não se iludam, iremos continuar a sentir, são normais. No entanto, não são positivos para a nossa saúde física e psicológica, nem para os nossos relacionamentos, primeiro connosco próprios e depois para com os nossos familiares, amigos e sociedade em geral.


Questão importante: o que podemos fazer?


Primeiro: aceitar as emoções (não é o mesmo que querer, aceitar é conviver com a realidade, com o que existe neste momento).


Segundo: reduzir a intensidade dos sentimentos e emoções (na gestão emocional, a questão fundamental não se prende com o sentir ou não sentir, mas sim com a intensidade daquilo que sentimos).


Terceiro: realizar técnicas de gestão emocional, diariamente, de maneira a interromper a resposta de alarme, o que nos permite ser quem realmente somos (não se preocupem, se precisarem dessa resposta de alarme para uma situação de emergência, ela estará presente).


Perguntam vocês: mas como tratar estas emoções eficazmente, e em minutos?


É precisamente nesse sentido que venho convidar-vos para, em conjunto, e independentemente da idade, género, raça, nacionalidade, cor clubística ou partidária, ou qualquer outra forma de divisão arbitrária, todos juntos, nos encontrarmos online, no dia 28 de março (sábado) às 11h para uma sessão de tratamento emocional coletiva.



Como funciona: carreguei um vídeo de cerca de 12 minutos para o Youtube com um protocolo de gestão emocional que utilizo há mais de 10 anos em mim próprio e com os meus pacientes, e que é muito eficaz no tratamento de emoções disfuncionais. Esse vídeo está programado para “estrear” no dia 28 às 11h (depois ficará disponível ao público em geral).


O que têm de fazer: aceder ao canal do Método Pestana no Youtube aqui e acionar o “definir lembrete” do vídeo. Podem também subscrever o canal para ficarem a saber quando coloco um novo vídeo. No dia e hora indicados, voltam a essa página e seguem as indicações do vídeo para tratar uma questão emocional.


Objetivo: juntarmos o maior número de pessoas no dia 28 às 11h para, coletivamente, tratar das nossas emoções.


Preço: a nossa união enquanto sociedade não tem preço, o mesmo acontece com o nosso bem-estar emocional. A participação é livre e gratuita.


O momento é de união, de recolhimento nas nossas casas e dentro de nós próprios. Nestes momentos difíceis, temos andado, e bem, ocupados com as limpezas exteriores. Igualmente importante é mantermos uma boa higiene emocional. Vamos aproveitar este momento para, em conjunto, olhar para dentro e limpar tudo aquilo que estiver infetado.


Se acharem bem, façam com que esta mensagem se torne “viral” 😊


Até sábado 28, às 11h.


João Pestana

824 visualizações1 comentário

VISITE-NOS NAS REDES SOCIAIS 

  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Copyright@2019 Método Pestana

Portugal - Algarve - Faro - Lagoa

Email: info@metodopestana.com

© 2010 - 2019 Método Pestana. A informação contida nesta página pode ser citada livremente sem necessidade de permissão prévia do autor, desde que não seja alterada ou manipulada, sob qualquer forma, e que seja mencionado o link de origem: www.metodopestana.com