Buscar

Será que o stress afeta, mesmo, o sistema imunitário?

Viva,


Todos nós sabemos que o stress faz parte da vida moderna. É comum as pessoas dizerem que andam "stressadas", provavelmente já ouviu isso de amigos e familiares, ou mesmo de colegas de trabalho. Se calhar já o disse você mesmo.


Algumas pessoas dizem que, para elas, o stress é positivo, que aumenta a sua performance, outras dizem que não, que as impede de se concentrarem e que até produz efeitos físicos.


Afinal, em que é que ficamos?



Bom, vamos perguntar à ciência.


Quando entrei na faculdade de psicologia, há cerca de 20 anos, havia ainda alguma controvérsia sobre o impacto do stress na mente e no corpo. Atualmente, a investigação dissipou as dúvidas. O stress tem mesmo um impacto negativo na nossa saúde... mas nem todo o tipo de stress!


Então, mas afinal, o stress é positivo ou negativo? Passo a explicar.


Os cientistas que estudam o stress dividiram-no em duas categorias: eustress e distress.


O eustress está associado ao stress resultante de acontecimentos positivos, como por exemplo:

  • receber uma promoção no emprego,

  • ser pai/mãe,

  • ir de férias,

  • casar,

  • ou comprar uma casa.

Tudo isto produz stress, mas geralmente não dizemos que é negativo. O eustress é, geralmente, de curta duração e, sim, pode ser benéfico para o sistema imunitário (ver revisão científica aqui).


O distress, por seu lado, está associado a acontecimentos negativos, como por exemplo:

  • ser despedido injustamente,

  • doença ou morte de uma pessoa querida,

  • abuso sexual ou negligência,

  • relacionamentos conflituosos (a nível familiar ou profissional),

  • ou divórcio litigioso.

Ao contrário do eustress, o distress tem tendência para arrastar-se durante mais tempo, por vezes, durante anos. É o chamado stress crónico que, sim, tem efeitos severos na saúde. Desde logo, tem um impacto significativo nos diferentes braços do sistema imunitário, diminuindo, por exemplo:

  • a capacidade de cicatrização de feridas,

  • a resposta de anticorpos a vacinas,

  • a capacidade de suprimir vírus latentes,

  • a capacidade de suprimir vários processos inflamatórios,

  • aumentando, assim, a suscetibilidade a doenças infeciosas.

Estes efeitos, por sua vez, podem aumentar o risco de uma variedade de doenças físicas e mentais, incluindo:

  • doenças cardiovasculares,

  • diabetes,

  • certos tipos de cancro,

  • doenças autoimunes,

  • depressão,

  • fragilidade e mortalidade geral.

Sim, é verdade, de acordo com a investigação científica realizada nos últimos 20 anos, e ao contrário do que muitas pessoas ainda pensam, inclusive profissionais de saúde, o stress crónico mata! (ver revisão científica aqui).


Portanto, agora, se lhe perguntarem: "Será que o stress afeta mesmo o sistema imunitário?"


Já sabe a resposta, depende, o stress agudo (eustress) não tem impacto negativo no sistema imunitário, pelo contrário, pode até ser positivo. Por outro lado, o stress crónico (distress) tem um impacto negativo significativo no sistema imunitário, criando as condições favoráveis para o desenvolvimento de doenças físicas e psicológicas.


A esta altura, já consigo imaginá-lo a perguntar: "Mas, então, e como é que eu posso saber se os meus níveis de stress já estão a afetar a minha saúde?"


Ainda bem que pergunta, isto porque o post da próxima semana aqui no blog do Método Pestana é mesmo sobre isso: como avaliar o stress cientificamente em apenas 3 minutos!


Até lá,


João Paulo Pestana

282 visualizações
Captura%20de%20Ecr%C3%A3%20(212)_edited.

VISITE-NOS NAS REDES SOCIAIS 

  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Copyright@2020 Método Pestana

Portugal - Algarve

Email: info@metodopestana.com

© 2010 - 2020 Método Pestana. A informação contida nesta página pode ser citada livremente sem necessidade de permissão prévia do autor, desde que não seja alterada ou manipulada, sob qualquer forma, e que seja mencionado o link de origem: www.metodopestana.com